terça-feira, julho 17, 2007

Tesourinhos Deprimentes.

Desde a Venezuela, mais precisamente do Grupo Folclórico Saudades da Casa portuguesa Venezolana del Edo Carabobo, chega-nos hoje um vídeo de uma nova forma de Pauliteiros de Miranda. Não se pretende com a amostragem deste vídeo denegrir o trabalho dos luso descentes, nem dos venezuelanos que se esforçaram para conseguir este trabalho, mas pretende-se sim, mostrar que a difusão da cultura mirandesa, apesar de ser crescente, tem sido mal conseguida em algumas áreas geograficamente mais distantes, nos últimos anos, como é o exemplo da América do Sul. Por isso, nós como agentes de cultura aqui deixamos um pequeno alerta. Trabalhemos para inverter esta situação.

Agarra-me estes Palos!

24 comentários:

Anónimo disse...

fiquei chocado :)

Anónimo disse...

Boa tarde...
Antes de ver o video, juro que ia escrever outra coisa...!!!!
mas, meu deus!!!...`
Aguém que grave um video, e um cd com musicas e lhos mande...a eles, e a quem se digne representar a região de Miranda além fronteias...penso até que até os há na Venezuela!!!
Mas a dançar assim... UI!!!

Anónimo disse...

lapso... queria dizer que penso que também os há na Argentina....
mas................COISA RIDICULA...!!!!
Os decendentes desta zona devem estar a pensar do ridiculo de que se safaram ao saír daki!!!

Almendra disse...

Penso que não devemos ver só pelo lado do purismo das nossas danças.
Este é um trabalho que merece uma profunda reflexão.
Os mirandeses e aqui incluo toda a Terra de Miranda espalharam-se pelo mundo desde o tempo das descobertas.
Como a religião, também as nossas danças perduram na memória de muitas gerações que, porventura, nem saibam já, que têm aqui a sua origem.
É natural que uns se lembrem duma dança e outros de outra.
É natural ainda que alguém tenha querido juntar várias danças numa só, fazendo um arranjo.
Só estudando localmente se saberia.
Mas que nesta dança podemos ver a dança das fitas e o chafariz grande, o assalto ao castelo, o fandango, o Galandum, a dança dos paus e a dança das flores (o Dr. Mourinho tinha um trabalho sobre esta dança), não parece haver dúvidas.
A magestade e imponência dos trajes das dançadoras e dos dançadores é mesmo mirandês.
Gostei do arranjo musical e coreográfico.
Parabéns ao blog que ao publicar este vídio fez cultura.
Almendra

Nando disse...

Nas tags com que o vídeo foi publicado na internet foi colocado o nome "Pauliteiros de Miranda". Daí se puder pensar que esta seja uma deturpação da nossa dança. Podem-se observar nesta dança muitas similaridades com a nossa, mas existem adaptações das danças romenas, entre outras facilmente observáveis, o que jamais pode fazer deste grupo, um grupo de pauliteiros que se incluida na nossa variante da dança de palos.

Na minha sincera opinião, eles tentaram imitar, mas quem lhe passou esta ideia de pauliteiros fe-lo muito erradamente.
E usando o nosso traje, que merece todo o respeito, deviam ter-se informado melhor. Se tiveram acesso aos trajes também facilmente teriam acesso a informações sobre a dança. Mas fica sempre a dúvida...

De realçar que existem diversos grupos no Brasil que dançam danças de palos e aos seus dançadores lhes chamam pauliteiros, mas aí penso que seja correcta esta designação pois não usam os nossos trajes,nem pretendem a imitação pura das mesmas. Mas antes uma demonstração de toda a cultura transmontana. Os seus lhaços acentam sobretudo em temas agrícolas e do quotidiano das nossas gentes. Tornando-se assim, em minha opinião, em mais uma variante das danças de palos.
Destes grupos brasileiros à diversas informações disponíveis na internet.

Também de frisar que há um grupo de Pauliteiros, em Buenos Aires, na Argentina, chamam-se Pauliteiros Transmontanos de Buenos Aires e do que vi deles até hoje, dançam os nossos lhaços e estão muito bem informados.

Anónimo disse...

Aqui vemos o interesse que a cultura mirandesa desperta pelo mundo. Só é pena não haver um DVD com coreografias bem esplícitas ou uma página na net especializada nos chamados Pauliteiros de Miranda onde pudesse existir uma base de dados com músicas, coreografias desenhadas e com animação, etc.
Deixo aqui o desafio.
Quem fez este trabalho que nos é apresentado, fê-lo como melhor sabia, inclusive, colocou de fundo música do grupo Galandum Galundaina do CD "Modas i Anzonas".

Suzana disse...

Olhando como mirandesa isto chega a ser cómico... mas acredito que quem esteve lá, e se n conhecia a cultura mirandesa,se deliciou com aquela mistura de coreografias.. está ali um belo entertenimento mas vamos chamar as coisas pelo nome.

Anónimo disse...

Eles tem já algumas gravações de danças originais dos nossos pauliteiros;conhecem bastantes laços mas..pelos visto não todos,ou decidiram fazer algumas modificações,tb lhe foram dados endereços na net para melhor se informarem..talvez haja apenas alteração nesta dança...

Anónimo disse...

Alteração?! e onde estão os paus?! Foram trocados por varas?! Cómico!

dr dre disse...

ja vi pauliteiros do concelho a dançar pior...pelo menos organizaçao e sentido de palco, bem como entrusamento entre os elementos nao falta.simplesmente é uma coisa diferente...na minha sincera opiniao, ha que dar os parabens a alguem que tem orgulho na sua cultura!!!

pauliteiros de Miranda do Douro disse...

O video foi retirado do You tube. Estamos em negociações :) para ver se é possível trazer o tesourinho novamente até voçês de forma a continuar a discussão.

Prometemos ser Breves.
Saudações Mirandesas!

Anónimo disse...

É verdade que não estão no seu original..mas eles tb não tem professores da nossa terra a ensinar a dançar..alias já muito fazem eles em tentar levar um pouco de Portugal aos nossos emigrantes,alias..são os mais novos que se interessam o que lhes é devido o valor só por isso!!Tb não há que esquecer que antes em Miranda era parolo falar mirandês..agora é chique..que antes não havia pauliteiras..agora é muito "in"..portanto..estando mal..é nosso dever ajudar a melhorar!!!Não só criticar...

Tiêgui disse...

Nun cheguei an ti�mpos pra ber al bidio...ele tamien staba nal "you tube" por isso y� que ya nun 'l ten s'al tube, un die... ;-)

Eilhes acho que nun se pu�dan ser reconhecidos cum paleiteiros de Miranda, mas si paleiteiros de cultura Mirand�sa.

Mas frequamiente prefiro ber isso do que descandientes de Mirand�ses ha bailar dan�as d'outras regiones de Purtual.
Cuncurdo cun Almendra.

Nando disse...

Já está de regresso o tesourinho. Vejam o vídeo! As negociações correram pela positiva:).

Quanto ao grupo posso-vos dizer que foi criado acerca de dois anos e tem ganho vários festivais a representar Miranda do Douro, segundo um amigo do grupo.

Quanto ao que me foi dado a entender na venezuela e em outros paises da América Latina o folclore prima pela espectacularidade de uma combinação de forma a ganhar concursos e não pela representação fiel das tradições da zona de onde são originárias.

Brevemente o director do grupo entrará em contacto connosco para mais esclarecimentos que serão também cedidos a todos os nossos net-ouvintes.

Da nossa parte tentaremos ceder a este grupo o máximo de informação de forma a que possam representar Miranda da melhor forma.

Espero que o consigam fazer, pois o que vi até agora não parece representar de forma alguma, a não ser pelos trajes e alguns, mas poucos pormenores de dança as nossas terras. Se se querem formar pauliteiros de miranda, não se pode tentar apenas similaridades com a nossa dança. É necessário que se sigam certas normas e certos padrões.

Saudações especiais a todos os grupos de pauliteiros do mundo!

Saudações Mirandesas!

Nando, Pauliteiros de Miranda do Douro.

Adé CALDEIRA disse...

Realmente este video deu pano para mangas : mas mangas arregaçadas deve certamente o que faltou mais aos 5 anónimos que “ficaram chocados, indignados da representação, acharam ridiculo”, etc ... etc ...
Quem agora ficou chocado e indignado fui eu frente a estes ridiculos “corajosos anónimos”.
Apenas a Suzana identificou-se com nome mas cujo perfil encontra-se indisponivel no blogger.
Quanto a mim estou devidamente identificado e os meus dados claramente contactavéis.
Em primeiro lugar deixo aqui a confissão que desconheço por completo as culturas etnó-tradicionais mirandesas sendo um total ignorante nesta problemática de boa ou de má representação. Aparentemente encontra-se a maioria a dizer que não corresponde ao rigor de autenticidade como definido pelas regras do CIOFF/UNESCO na sua categoria 1.
O que me fez intervir foi ver a chuva de propositos contra o grupo em questão por não ter tido isto ou aquilo para fundamentarem os seus conhecimentos nas riquezas patrimoniais imateriais de Miranda do Douro.
Como o disse o Nando, conheço o rancho em questão que é um grupo de portugueses emigrantes sedeado na Venezuela, mais precisamente no Estado de Carabobo, oeste de Caracas.
Para vosso conhecimento “corajosos anónimos”, este rancho é composto de jovens (para a maioria deles nunca visitaram Portugal !) que durante semanas a fio, e meses inteiros escreveram uns tantos mail’s a solicitar apoio técnico, ajuda musical, material coregráfico, videos, músicas, pautas, etc ... Uns mais que outros até conseguiram agregar mirandeses nos seus MSN’s e a quem solicitaram ainda mais apoio por ser um contacto mais directo ... E de promessas em promessas là vinham as esperanças que iriam conseguir algum material técnico-folclórico.
“Corajosos anónimos”, sabem o que receberam estes jovens que devido ao fuso horário (-6h) passaram noites venezuelas a tentar obter algo ? NADA !! Absolutamente NADA !! De promessas, essas foram aos montes !!
Por este motivo (entre outros), associo-me às argumentações de Almendra e do “Dr. Dre”.
Quanto aos trajes e ao pouco material que conseguiram obter para depois tentarem transpôr, estes jovens têm muitos agradecimentos a dar a uma jovem da freguesia de Sendim (penso que é isso ?) pelo que fez desinterassadamente para ajudá-los com tudo o que fosse ao seu alcance. Não ignorando que receber documentação, padrões de trajes, fotos, postais e desenhos digitalizados é bem mais facil a “reproduzir” que a “imitação videográfica” das vossas coregrafias etnó-regionais !
Sim Dr. Dre : “ha que dar os parabens a alguem que tem orgulho na sua cultura!!!” e quem o fez, porque sei quem é, tinha esse mesmo sentimento e vontade de coração ... Ao ler certos comentários aqui postados acusou-se agora de vergonha porque só eles sabem por onde tentaram furar e conseguir material “á fonte” daquilo que se orgulhavam de futuramente representar !!
Moral deste sentimento de auto-vergonha : até o video já desapareceu do YouTube !
Sinto-me feliz de ter sido convidado na recta final pela Candidatura do Património Imaterial Galego-Português (www.opatrimonio.org) em Novembro 2005, aquando a proclamação das Obras-Mestras do Património Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO em Paris. Foi um trabalho titanesco de “lobby diplomático” para obter o estatuto de Património Mundial da Humanidade e realmente uma experiença gratificante. Porque contar isto ? Pois até aí, o apoio daqueles que se dizem ser os “grandes defensores” do vosso património transmontano foi escasso. Acabamos por perder a candidatura !
Por isso carissimos “corajosos anónimos”, deixo-vos a minha bem modesta sugestão de serem mais moderados e no lugar de criticas pejorativas e acusações ligeiras a juventude portuguesa emigrante pela ofensa por má representatividade que tanto vos afectou, arregacem as mangas e dêm-lhes todo o apoio que eles merecem se querem que a vossa indignação se transforme em orgulho ainda mais consistente para serem padrinhos um dia destes jovens embaixadores das vossas tradições mirandesas defendidas com qualidade por esse Mundo fora.
Caso contrário e pelo mesmo caminho da tão pouca atenção que estes jovens luso-venezuelanos obtiveram, desafio-vos a vir aqui colocar um video do vosso honrado trabalho de “transcrição” de folclore da américa latina numa próxima actuação.
Felicito o Nando e associo-me pela última tomada de posição no tópico anterior que vai exactamente ao encontro do penso e tento defender : apoio e solidareadade entre grupos em Portugal para com grupos portugueses no estrangeiro.
Espero não ter ofendido ninguem e se tal aconteceu, apresento antecipadamente as mais respeitosas e sinceras desculpas.
Com aquele abraço folclórico e lusófono de sempre,
Adé Caldeira – Presidente do Clube de Jovens Folcloristas Portugueses nas Comunidades - Paris/França
caldeira@fapf.org – adecaldeira@hotmail.com – www.jovensfolcloristas.blogspot.com

nando disse...

Muito obrigado pelo seu comentário. Muito construtivo e como o disse o sr Almendra tanto ao publicar o vídeo como pelo seu comentário, entre outros, não insultuosos, fez-se cultura.

Jamais se quis com a publicação do vídeo menusprezar o trabalho desses jovens, bem como ficou realçado no texto publicado juntamente com o vídeo.
Quis-se sim fazer um alerta relativamente ao caminho que o folclore português e, mais respectivamente o mirandês, podem seguir se algo não se fizer.

Mais uma vez fica aqui realçado que estamos a tentar entrar em contacto com a direcção do grupo de forma a puder dar-lhes toda a informação que eles necessitem, bem como vídeos e outras explicações!

A todos Saudações Mirandesas!
Vivam todos os portugueses espalhados pelo mundo empenhados em defender a nossa cultura!

Fernando Silva / Nando, Pauliteiros de Miranda do Douro

Almendra disse...

Por vezes os anónimos são apenas porque não têm ainda um blog ou conta na internete, por isso eu vejo neles um mirandês e a sua opinião conta igual.
Por vezes são jovens que têm na guelra aquela vaidade de ser mirandeses e defenderem o que é de todos. Eu já fui assim. E penso que o "adé caldeira" também os considera e penso que ninguém se ofendeu.
Mas o que importa é que todos queremos o melhor.
Força Nando e todos os pauliteiros e pauliteitas.
Vamos fazer uma onda de solidariedade e intercâmbio com todos os mirandeses em qualquer parte que se encontrem.
Mas nunca se esqueçam, que antes da nossa "terrica" está a Terra de Miranda.

Tiêgui disse...

Pa la França, an Burdeus, donde you bengo, habie (hai ?) un grupo de paleiteiros an que mui pai me falou por tener sido ele tamien dançador.
Ua grande parte de los eimigrantes Mirandêses que stan an França stan an Burdeus, i ua grande parte d'eilles son de la raia, particularmiente de Cicuiro i Samartino.
Al tal grupo de Burdeus fracamiente nun sei cum s'eidanteficaba mas éra mesmo formados pur Mirandêses nacidos de las Tierras de Miranda, pur isso sabian perfeitamiente al que fazien.

Al ber al bidio, tengo que dezir que isso nun yê dança de palos cum you la hei bisto (ralas bezes), mas si ua dança anspirada de la dança de los palos, cua coregrafie mas que buôna isso sta ciêrto (nun yê peciso ser purista pra dezir isso) !

Agora nun sei cum yê que se chaman, se fur "Pauliteiros de Miranda" you digo no ! Mas se fur "Pauliteiros de cultura Mirandêsa", ou simplesmiente "Pauliteiros" anton si !
Nun puôdan ser "Pauliteiros de Miranda" purque la coregrafie, cum se puôde ber, yê mui moderna, i bastante anspirada de los ranxos dal Minho ou dal peis anterio.

Agora claro, poner un paleiteiro ha dançar cua rapaza i cula musica "se tou pai me dare" isso si para mie yê guapo...mas nun ten nada d'un lhaço de la dança de los palos.

Paleiteiros...,cum diç Nando, agarrai-me esses palos ! ;-)

Anónimo disse...

Vi o ano passado no bonito jardim dos frades Trinos um festival de dan�as mistas mirandesas do que h� de melhor, vi o rancho de Duas Igrejas representar o fiadouro,coisa linda !Mas do pior tamb�m vi nomeadamente um rancho folcl�rico de Paradela. Fiquei a pensar se em Miranda do DOuro n�o h� uma autoridade cultural que promova o que ali se faz de bom e que vete � exibi�o p�blica coisas que n�o t�m a ver com a terra de Miranda. Fizeram melhor estes Sul Americanos.

Adé CALDEIRA disse...

Caros Colegas,
Só para informar que 2 jovens luso-venezuelanos confirmaram presença no Congresso Mundial do CJF em Faro (11/08/2007, no quadro do Dia Mundial da Juventude).
Entre eles, encontra-se o ensaiador do tal grupo mostrado no video que chega a Faro do 6 ao 12/08/2007.
Quem estiver por lá nesse período é só avisar para marcar encontro.
E já que há uma onda de vontade para mandar material para Venezuela, dou-vos a solução mais barata de mandar tudo o que quizerem para o nosso “quartel geral” do Congresso :
Associação Social e Cultural de Almancil - Ao cuidado de Sandra Vale e Adé Caldeira
Rua do Centro Comunitário - P-8135-154 ALMANCIL (Loulé) - Portugal
Telf. : 289 393 602 - Fax. : 289 397 898 – clube.jovens.folcloristas@fapf.org

Podem mandar já e até ao 08/08/2007. Como podem mandar por mail : clube.jovens.folcloristas@fapf.org
Tudo será entregue a este jovem. Vamos a isso !! Força !!
Programa completo do Congresso : www.jovensfolcloristas.blogspot.com
Com aquele abraço folclórico e lusófono de sempre,
Adé Caldeira – Presidente do Clube de Jovens Folcloristas Portugueses nas Comunidades - Paris/França
caldeira@fapf.org – adecaldeira@hotmail.com – www.jovensfolcloristas.blogspot.com

Topo disse...

Além de grupos de "pauliteiros" que seguiram variantes do que assumimos como a dança dos palos, também existem grupos de pauliteiros noutros pontos do país, sendo que alguns como Vila Nova de Anço contam com outra indumentária. Penso que as Terras de Miranda, como "pátria das danças de pauliteiros" teria muito a ganhar a nível de turismo com um festival (não encontro) em que se dê atenção ao fenómeno um pouco por todo o mundo. Ter grupos de diferentes pontos do país e do mundo e organizar um festival de grande projecção mediática por forma a promover o concelho. Tal como foi dito num comment anterior, este grupo sul-americano participava num concurso. A organização desse mega-evento que premearia os grupos vencedores mediante diversos critérios (originalidade, coreografia, etc, etc) poderia ser um grande passo na divulgação da nossa cultura e na promoção do nosso concelho. Incluo também nestes grupos aqueles que seguem a tradição dos pauliteiros mirandeses e que muitas vezes se encontram formados por mirandeses emigrados.

Nando disse...

A gestão da nossa cultura não pode ser, de maneira alguma, feita de forma tão simples como a exemplificada acima.
Reunir grupos como o nosso e o de Vila Nova de Anços (grupo este que não dança as nossas danças e se enquadram noutra variante das danças de palos) e acreditem que há muitos muitos mais tudo bem!

Mas a organização teria que impor critérios de acesso à entrada de diversos grupos, caso se queira tratar verdadeiramente de um festival de pauliteiros!

Tratando-se de pauliteiros não será pela criatividade, nem pela coreografia que deverão ser pontuados num espectáculo deste género, mas sim pela sua capacidade de execuação das diversas danças (mesmo noutras variantes da dança de palos, pois existem registos de como as mesmas devem ser executadas).

Por fim, no caso destes grupos sul americanos, entre outros, poderia-se propor um tema livre. De forma aos mesmos puderem mostrar as suas coreografias de forma despreocupada e sem receio da nossa crítica.

Mas, na minha sincera opinião, Miranda ganharia sim, com a realização de um encontro de folclore. Uma espécie de "Danças do Mundo". Acompanhado de conferências sobre as diversas danças nacionais e internacionais de forma a obter estudos comparativos entre as diversas danças, de forma a atrair mais historiadores para esta área, de forma a divulgar a todos os estudiosos de folclore esta nossa dança, entre outras que a nossa terra tem com orgulho.
Em Terras de Miranda não há só pauliteiros existem outras enumeras danças que lentamente se estão a perder. Estudemo-las e estejamos atentos de forma a as pudermos divulgar de forma coerente para fora de Terras de Miranda.

Haja vontade e Miranda pode viver!
Abraços a todos os leitores!
Saudações Mirandesas!

Jorge Raposo disse...

Meus parabéns por mostrar outros lugares do mundo que tem vontade de apresentar música de seus antepassados. É certo que não se pode misturar uma dança que tem história e que tem anos a decorrer pelo mundo - que tem raízes própias - mas tb é certo que não é fácil assim, estando tão longe, poder dar tudo como certo e por muitas razões, passo a dizer:
Primeiro: desculpe_me por meu horrível português escrito.
Eu sou filho de Transmontanoe moro na Argentina. Eu estive nesse país por 3 vezes e procurei por vídeos e livros do padre Morurinho e outros que falassem da origem desta dança, porém sem êxito. Falei com o Presidente da Câmara, Eng. Rodrigo por 3 vezes e nunca pude conseguir nada disso. Sempre ficou tudo esgotado e ficou de conseguir e mandar para mim depois. Mas nada tem conseguido: nem um vídeo próprio dos Pauliteiros de Miranda e o livro do padre Mourinho copiei em parte quase 150 folhas na Biblioteca de Miranda do Douro. Procurei, ainda, o Comendador Anibal Araújo de Tribuna Press por causa de um encontro no ano 2006 aqui na Argentina onde eu era Delegado do Conselho das Comunidades Portuguesas na Argentina perante as instituições nacionais da Argentina.Quero aclarar que eu queria comprar e não estava a pedir esmola. Por sorte tenho primos que gostam de Miranda e ficam orgulhosos de serem Transmontanos e algum deles foram e outros ainda são dançarinos - em Duas Igrejas: Alberto Raposo, em Lisboa: Lazaro Raposo, filhos de primos, Helder Domingos e Tony Domingos: em Malhadas. O pouco que consegui foi graças a eles (um de Semdim, um ensaio do rancho desse local).
Aqui na Argentina, desde o ano de 1920 sempre teve algum rancho de Pauliteiros: primeiro foram os Transmontanos que tem chegado desse país e depois foram seu filhos e netos. Atualmente só há uma mistura de alguns portugueses, alguns luso-descendentes e nativos daqui que não tem conhecimento desta dança resultando, assim, ser bem dificil manter as lembranças, a cultura e raízes dos Pauliteiros pois não se conta com ajuda de dados, livros, vídeos, etc. Por isso antes de bater, xingar ou falar de alguém que procura fazer dentro de seu saber que outras pessoas entendam ou conheçam alguma coisa seria de bom aviltre saber o que fazem por aí para ajudar para que não se troque a verdade desta dança e que possa ser conhecida em todo o mundo, e mais: ficar orgulhoso quando ajuda a difundir a cultura de nossos pais e avós - nossos antepassados.
Por último: eu sou apresentador de um rancho na Argentina "Rancho Etnográfico Os Pauliteiros Transmontanos" sendo o 7º rancho criado desde o ano de 1920 até agora e desejo que fosse definitivo e que fique sempre a bater os paus. Há uma página que foi recém criada denominada www.pauliteiros.blogspot.com. A roupa que se tem escolhido para dançar é, segundo o diretor do rancho, Celestino Miguel Moreira, a que se usava em seu povo, “Vila Sá de Braciosa”. Outra mudança é que neste rancho dançam raparigas mas temos o cuidado de não mudar a essência da dança.

Obrigado e desculpem se tem atrapalhado, mas não poderia deixar de dizer o que eu senti a ler alguns dos 22 comentários sobre o rancho de Venezuela. Para aqueles que tem demonstrado que tem certeza do que querem e que olham buscando a verdade (Nando, Almendra e Adé Caldeira) meus parabéns! Pessoas como vocês fazem com que mantenhamos e melhoremos essa dança tão típica da região de Miranda do Douro. Também desejo dizer aos anônimos que além de reclamar procurem ter conhecimento e difundir a cultura dos Pauliteiros. Saudades de Miranda. Saudades dos Pauliteiros. Saudades de minha família daqui de tão longe de Portugal. Saudações. Abraços
Jorge Raposo jrapo@sapo.pt

Anónimo disse...

acheter cialis , cialis acheter, comprare cialis, cialis comprar.