terça-feira, maio 29, 2007

Reunião do Senado "suspensa".Luz ao fundo do túnel?

Estava prevista para hoje a realização de uma reunião do Senado Universitário da UTAD onde o futuro dos pólos seria um dos pontos da ordem de trabalhos, no entanto, a reunião não chegou a ser marcada.
Bruno Gonçalves, presidente da Associação Académica, considera que o adiamento do Senado é fruto da pressão dos alunos, levando o Reitor da UTAD a dar garantias de que antes da realização do Senado Universitário vai reunir com os autarcas de Chaves e Miranda do Douro para se inteirar das condições que são oferecidas por cada município.
Entretanto, ganha cada vez mais força a ideia da criação de uma Fundação de Ensino Superior que se responsabilize pela gestão financeira, serviços de acção social e captação de verbas para a manutenção do pólo universitário.
Segundo Artur Nunes, presidente da Associação Comercial e Industrial de Miranda, um dos mentores da proposta, o edifício onde funciona o pólo teria de ser ampliado e modernizado, com uma cantina e residência universitária, o que seria feito pela tal fundação, já que a Reitoria da UTAD alega dificuldades económicas.
Por seu turno, a Câmara Municipal está disposta a colaborar, propondo pagar despesas correntes da instituição caso a Reitoria e o Senado da UTAD assim o entendam. No entanto, o Presidente da Câmara, Manuel Rodrigo, alerta que o pólo só será viável com criação de mais cursos superiores.
O reitor da UTAD, Mascarenhas Ferreira, garantiu, que vai analisar a proposta e, quiçá, apresentá-la ao Senado. "É uma obrigação minha levar toda as propostas às instâncias competentes. É um documento elaborado no pólo de Miranda do Douro e vai merecer a devida atenção," acrescentou.
Em resumo, com todas estas movimentações parece que os Pólos ganharam um precioso tempo para apresentarem propostas credíveis para a sua continuidade. Parece que a pressão feita sobretudo, pelos alunos do pólo mirandês e de todos os mirandeses, surtiu efeito, ao adiar a marcação da reunião do Senado.
Esperemos, finalmente, que esta possa ser uma luz ao fundo do túnel!
Fonte: UFM, JN

Agarra-me estes Palos,
Pelo Pólo de Miranda!

26 comentários:

Anónimo disse...

Quereis ber que todos ls mirandeses acordaram?!
primeiro fui la mouçidade apuis toda la giênte! muito bien!

Anónimo disse...

un curso que talvez seria interessante por em Miranda, é o de géologia do ar e da terra.

-Géologia de terra : porque todo o Norte de Portugal tem varias qualidades de minerais de interesse para estudos i aulas praticas.

-Géologia do ar : é o estudo da troposféra, ionosféra, e magnétosféra que por varias razões praticas da mesmo para ser feita em Miranda.

Boas noites.

Anónimo disse...

Se houvesse vontade política muitos cursos poderiam ser colocados em miranda.

Gerontologia é um grande exemplo.

E que tal começar a ministrar um curso de Mirandês-Português? Já é altura de termos pessoas licenciadas a estudar, leccionar e desenvolver a nossa língua, e não só pessoas que não estando totalmente aptas para o fazer lá se vão desenrascando.
Não seria essa uma forma de pudermos dar aos nossos emigrantes, aos nossos migrantes ou apenas interessados, uma maior formação sobre a nossa língua? Com gente especializada pudemos leccionar a nossa lingua onde houver grupos de mirandeses, grupos de interessados em aprender a língua.

E que tal criar cursos de verão?
E cursos de formação inicial? Sets?

Muito se pode fazer...logo que haja vontade!

Anónimo disse...

Eu acho q era bom q a própria universidade em Miranda começasse a trabalhar sobre a cultura mirandesa e a integrar-se na região onde está. Há tanto para fazer sobre a cultura mirandesa (não só a língua!!!).

Anónimo disse...

Sim, sim isso é completamente verdade. Pois, ja vie que aqui em Portugal MUITOS estudantes que tirarem un curso de linguas seja Frances, Espanhol, alemão o Inglês pouco importa...eles simplesmente não encontrem trabalho porque esta tudo saturado nessa area !
Mas professores de linguas minoritarias, onde estao ? Onde estao os professores de Euskara, de Galego, de Leones, de Catalan, de Montanhes... de Mirandês ?

Pois em MIRANDA sim se podia formar professores de Mirandês isso sim... porque isso agora que somos conhecidos é que a gente quere aprender o Mirandês...existe essa curiosidade nas pessoas, eu vejo isso aqui.

Por isso, se professor de Inglês nao da nada...pois professor de Mirandês isso sim podia dar, para mais ter sido formado em MIRANDA !

Agora fazer un polo scientifico em MIRANDA claro que sim mais ser necesario muitissimo dinheiro e isso so é nada mais que un sonho !

Anónimo disse...

um licenciatura/ mestrado em linguas minoritarias seria um contributo importantissimo, para toda a europa...
pois em poucos paises da europa se dá formação nessa área!

e concerteza em portugal e no estrangeiro haveria emprego. existem centenas de língua minoritárias que precisam de ser estudadas, desenvolvidas e leccionadas por profissionais capazes, sobre as capacidades dos quais não recaiam qualqueres dúvidas!

Anónimo disse...

Pois é isso mesmo meus amigos... salvar as linguas, temos a solução em frente dos olhos e não a vemos !

Isso é a solução para salvar a UTAD !!! Não é preciso de criar fontes de dinheiro ! A uma solução muito mais simples...

Desde que o governo reconheçeu officialmente a existencia da nossa lingua, ele não pode ir contra isso, o seja tem de nos ajudar a promover o Mirandês, tem de nos dar "instrumentos" e médios para nos poderemos trabalhar neste sentido.

"O Mirandês é um compromisso cultural e patrimonial irrécusavel para o estado português. A administração não pode demitir-se desta responsabilidade historica e não so pode contrariar o ensino do Mirandês a todos os niveis, mas antes ten a irrecusavel obrigação de criar as condições para que esse ensino subsista."

Por favor que isso seja dito na tal hypotética réunião. O governo não pode ir contra isso, por isso não podem fechar a UTAD !!!!

P.S : Hoije Grêbe General, a si....acho que bos bou ha dar un curso de grêbe que pareceis saber nessa cousa, héhéhéhé stou a brincar :-)))

Anónimo disse...

acho que não é só com o curso de línguas minoritárias que se salva a UTAD, mas é um caminho!

2 cursos jamais permitirão a sustentabilidade do pólo, mas 4 / 5 talvez já dê para manter e até desenvolver este pólo!

Mas sejamos sinceros, como já foi dito acima, é necessário haver, antes de mais nada vontade política para manter este pólo.

Temos que mostrar a portugal que somos uma zona culturalmente diferente do país, mesmo fazendo parte dele. E o país tem que respeitar estas nossas diferenças culturais e é sua obrigação apoiar o nosso desenvolvimento.

Se não nos respeitarem e não nos derem as condições que necessitamos, é altura de começarmos a pensar na autonomia regional de toda a zona abrangida pela língua e cultura mirandesa, ou seja Terras de Miranda!

Essa é a unica solução que nos dá a nós o poder de gestão sobre a nossa terra e só assim seremos capazes de a desenvolver... pois Lisboa caga para nós!

Anónimo disse...

Rapaz estou a gostar deste teu post muito bem ! Eu nao teria culh...para dizer isso !

Mas em fim, o governo tem de nos apoiar é UMA O-BRI-GA-çAO !!!!

Anónimo disse...

Mas o que é, é que não podémos pensar em independencia porque para nos isso não pode ser simplesmente porque não temos infrastuturas para isso como tem Euskadi o Cataloña. Não população suficiente, etc... I hoje em dia, na Europa, isso não tem muito seguenificado. E mais uma ideologia que outra coisa.

O governo é OBRIGADO a apoiar a nossa lingua !

Anónimo disse...

Autonomia regional NÃO É independência.

Apenas é a criação de uma região autónoma como a das ilhas da Madeira e Porto Santo e Açores.

O que apenas quer dizer que teriamos um governo regional que governaria directamente a nossa terra.

Já é altura de começarmos a trabalhar como em Euskadi e na Catalunha!
temos que defender o que é nosso!

Anónimo disse...

Sim pois percevie agora ! Desculpa !
Tens razão, mas de uma certa maneira é uma forma de independencia, ja que não es dependente do estado (no nivel das escolhas).
Mas seria muito bom, mais que bom, excelente...nem a palavra para dizer o que seria...

Estava a ler un livro sobre a nossa historia : "Falares asturo-leoneses em territorio português" tem un capitulo sobre a escolarizão do Mirandês...E sabeis qual foi a resposta do governo ao primeiro pedido para poder ensinar o Mirandês, pois foi essa :

"Em referencia ao v/oficio n° 573/82, de 12 de Novembro, respeitante à criação da cadeira optativa de Mirandês, informo V.Exa. de que legualmente não é possivel a introdução de disciplinas estranhas aos "Curricula" em vigor para todo o Pais."

Disciplina estranha ??? Que...

Por isso é que tems razão !!!

Anónimo disse...

São casos do passado, mas que se nos comparar-mos com as regiões espanholas nos deixam mesmo muito atrasados...

desde à 25 anos que na catalunha, se tem introduzido o catalão a pouco e pouco, até que, desde à dois anos (julgo eu... não me lembro bem agora da data) é obrigatório em todos os estabelecimentos públicos e privados. É leccionado, como o português em qualquer escola da região, enquanto aqui em miranda o mirandês, é uma opção.

O essencial é começar a trabalhar rapidamente em projectos que nos possam pôr ao nível dessas regiões, no que concerne ao desenvolvimento das suas línguas. É copiar e melhorar muitos dos projectos que eles fizeram nestes últimos 30 anos e aplicá-los à nossa região. E se tivessemos um governo regional era perfeito! mas não é fácil!...

Anónimo disse...

Ah e não esquecer que até para a manutenção da UTAD certamente seria muito mais fácil!

Anónimo disse...

Não esquecendo os posts acima, gostava só de referir uma simples coisa, se o fecho da UTAD se deve a "deslizes" financeiros, já à muito que não haveria ensino superior público em Portugal, pois "lá para baixo" as administrações não devem andar muito melhor do que aqui!

Regionalização. Quase todo o interior é merecedor de uma regionalização, estamos numa região particularmente sensivel, (desertificação, ordenamento do territorio etc...)investimentos iguais ou semelhantes ao do polo da UTAD são muito necesários para evitar que o interior morra...

Lígua Mirandesa. Excelente ideia, a de tornar obrigatório o uso da mesma, em locais públicos. As zonas autónomas Espanholas são um excelete exemplo... SIGAMO-LO!!

Estamos a ficar entregues "lobos" (sem que estes tenham culpa alguma) temos de reagir, o que Lisboa nos esta a fazer é um insulto!...
Cumprimentos
Hazta

Anónimo disse...

Eu sou mais de opinião que deveríamos pertencer a Espanha, assim como assim, este reino foi criado por um filho (Dom Afonso H.) que bateu na própria mãe (Dona Teresa). Teve logo maus princípios...

Anónimo disse...

Na utad muita coisa está mal. muitas historias tristes que merecem ser contadas. aqui ficam dois exemplos:
Nas cantinas da utad, logo depois de almoço, via-se todos os dias uma romaria de carros junto das mesmas. Até que um dia foi descoberto que o que se passava era que muitas familias de funcionários iam lá buscar restos. restos que podem ser entendidos como garrafões de água, packs, comida, mas tudo por estrear pois o português é fino.Nada acontecem.Não houve processos disciplinares, despedimentos,nada.
Outro caso era o de um professor que foi contratado para trabalhar num laboratorio e nunca lá punha os pés, sendo incoberto pelos restantes colegas. quando foi descoberto foi despedido. um ano demorou até que fosse descoberto. Tanto tempo?algo não vai bem na organização da utad.

E os pólos terão culpa?
Força mirandeses!

Anónimo disse...

Ola, estou ficando muito contente com todas estas opinoes.
Pois vai ser difficel impor o Mirandês na cidade de Miranda ja que cada vez que eu vou falo Mirandês com os commerciantes e eles toma respondem-me em Português e não so con eles até com o taxista...So o outro dia digo : "Lhebaije-me anté Cicuiro ?" e a resposta foi (com uma riza como quem faz pouco) :"ha Cicuiro, sim levo-te la !"

E tambem nos restaurantes...caralho se eu fosse presidente da junta deva uma multa de 50 Euros para cada palavra escrita em castelhano...que as coisas estejem escritas em Mirandês, caralho que não é complicado !

Se queremos impor o Mirandês teremos primeiro que inventar un vocabulario scientifico e tecnico basiado de preferencia no Mirandês o no caso contrario, no Português e no Castelhano.

Mas attenção, não se deve deixar o Português para tras. Porque se un estudante apprende todo em Mirandês como vai fazer depois para trabalhar fora das Tierras Mirandêsas ? Hora un exemplo é o segueinte : Trabalhei (nos estudos) em automação em França com Bascos. Depois de un certo tempo vie que eles tinhem estudado essa matéria mais solamente em Euskara, o que resultou que não conheciem o vocabulario Castelhano...e eu la traduzia as coisa em Castelhano, mas o que eles me diziem éra :"Lo siento pero no sei de lo que hablas porque nossotros lo hemos estudiado en Euskara...asi que no savemos ele vocabolario Castellano !"
Pois isso não tem de acontecer com os futuros estudantes Mirandêses ! De otro lado é verdade que entre o Euskara (que não é néolatin) e o Castelhano e un mundo...Mundo que não a entre o Mirandês e o Português. Mas em fim cria dizer isso, para contar como se passa em Euskadi.

Agora com aquele post que diz que deviamos estar do otro lado...isso faz me lembrar uma piada que tenho com un amigo em Cicouro :

-Boh, mas tu ya biste ?
-Al quei home ?
-Mira pra isso ?
-Mas al quei ?
-Al mapa !
-Mira la frunteira sta mal dezenhada ?
-A pos sta ! Cicuiro nun yê desse lhado...yê de l'outro !

héhé...Pois so é uma anedota :-) Nos temos essa anedota porque temos muitas relações com Aliste, alias como as outras aldeias da Raia.

Espero não escrito muitas tontarias.

Sabes k sou. Não é. disse...

Podes ter a certeza de teres escrito umas quantas tontarias.

Não é Kotxikame, melhor ainda Tiêgi,

ou deveria chamar-te TXAKUR.

O ultimo aplica-se melhor a ti.

Tiêgi disse...

ahahaha ! Mira eiqui al çacho que tengo ne la mie mano... nun sei se nun bas ha lhebar cun ele !

Txakur disse...

zakur zaunkalariak hozkarik ez

Gore arte, txakur.

Anónimo disse...

buono, mas num bos xateies ah rapazes!

Tiêgi disse...

Y~e el que anda siempre ha mandar bocas ! You tamien nun screbie nada de mal an basco ! Haber se percebe...

eu outra vez disse...

EMAK BAKEA KOTXIKAME.

Não tenho que te provar nada, nem a ti nem a nimguém.

Tiêgi disse...

You deixo-te rapaç ! Mas se nun me quieres probar nada anton porquei te metes siempre cumigo ?

Queda bien !

Sou eu de novo disse...

Porque és o único que das luta.
E se pensares bem também gostas de picar.
És tão malandro como eu.

Egun on tiêgi